terça-feira, 3 de julho de 2012

Os Anos de Silêncio na Bíblia

Quatrocentos anos se passaram desde o profeta Malaquias, e nenhum profeta ou líder digno de ser incluído nas Escrituras Sagradas surgiu. Por esse motivo o período é as vezes chamado de "os anos de silêncio". Na realidade esse período de turbulência social e política foi tudo, menos silencioso para o povo judeu.

O século II a.C., marcado pela revolta dos macabeus contra os selêucidas, foi uma das eras mais heroicas judaicas. Durante esses 400 anos também foram produzidos diversos escritos importantes. A comunidade de Qumram copiou os livros de Isaías, os Salmos, o Deuteronômio e outras Escrituras Sagradas. Esses manuscritos antigos foram descobertos nos arredores do Mar Morto por um jovem Pastor em 1947 d.C. e são conhecidos atualmente como "Os Pergaminhos do Mar Morto".

Os livros deuterocanônicos - ou apócrifos - aceitos como Escrituras Sagradas pelas igrejas romana e oriental, foram escritos nos anos entre o Velho e o Novo Testamento. A Septuaginta - tradução grega do Velho Testamento - foi outro dos produtos importantes desse período. Ela se tornou a Bíblia para os judeus grecofalantes fora da Palestina e, posteriormente, para a igreja antiga.

No entanto, a história de Deus não havia terminado. "Quando, porém, chegou a plenitude do tempo", nas palavras do apóstolo Paulo, o Senhor falou novamente - dessa vez na pessoa de Jesus Cristo, o Filho de Deus, cujo nascimento, vida, morte e ressurreição mudaram tudo.

Era chegada a hora de as velhas promessas dos profetas de um Servo-Rei e do reino de Deus, aguardadas por tantos anos, ganharem vida de uma forma nova e ousada. De todos verem personificados o amor gracioso, compassivo e inesgotável de Deus e Sua dedicação a reparar laços partidos através daquele carpinteiro e mestre itinerante chamado Jesus. O Messias que veio para libertar seu povo. Toda a sabedoria e desígnos de Deus concentraram-se na missão de Jesus no planeta Terra. Ele era a palavra final do Senhor.

E foi assim que começou...

(Retirado do livro A História, editora Sextante)

A Graça e a Paz do Senhor Jesus.