segunda-feira, 7 de abril de 2014

Talento e Sucesso

"O que determina o seu sucesso na vida não são os seus talentos, mas o preço que você se dispõe a pagar. Certa vez, depois de um concerto, o lendário violinista Isaac Stern foi abordado por uma mulher de meia idade. Ela estava entusiasmada: "Oh! Eu daria a minha vida para tocar como o senhor!". Ao que Stern reagiu: "Minha senhora, foi exatamente isso que eu fiz".

As pessoas sempre usam os dons como desculpa: "Se eu tivesse o dom que fulano tem de ensinar, eu ensinaria desse jeito também". Todavia, para ensinar com excelência, é preciso investir tempo em leitura, em resumos, repetições, tentativas e desenvolvimento. É mais cômodo dizer que alguém se sai bem por ter o dom. Este é o padrão da mediocridade: "Eu não tenho o dom". Se for assim, qual é o seu dom? A essa pergunta, os medíocres fogem ou se esquivam de responder. Eles fazem isso, porque sabem que o dom não é o segredo do sucesso.

Às vezes, o melhor médico não foi o estudante mais bem dotado, mas aquele que conseguiu superar suas próprias limitações e dificuldades. Esse é um preço pago por poucos. Quando comecei a pastorear, precisei lidar com alguns problemas, o primeiro foi a dicção. Eu engolia as palavras, ninguém entendia o que eu falava. Para outros, já era mais fácil, já falavam com clareza, bonito, bem articulado. Mas, para mim, custou caro falar publicamente, foram horas e horas com a caneta na boca repetindo, lendo a Bíblia em voz alta para tentar controlar a língua.

Algumas pessoas já me disseram: "Você tem o dom da fala". Mas eu não tenho esse dom, não sou uma pessoa expansiva, extrovertida. Quem convive comigo vê que eu não sou essa pessoa. Se hoje sou mais articulado, é por esforço, porque procurei desenvolver isso, porque eu quero ser um pastor e me empenho para isso. Se você for à minha casa, verá milhares de livros na biblioteca. Eu não os comprei para enfeitar, li todos. Alguns livros eu leio em um dia; outros, eu guardo para ler muitas vezes. Sou capaz de ler um livro e me lembrar de cada capítulo. Sou capaz de esboçá-lo. Mas não é um dom, é trabalho. Eu treinei muito. Na faculdade, eu pegava fichas e resumia os livros sem que o professor mandasse. Ninguém me mandava estudar. Eu decidi que queria excelência e me dispus a pagar o preço exigido para obtê-la.

Eu não sou muito original. Não quero falar algo novo, prefiro falar algo que seja rico. Quase todos os princípios que exponho em minhas pregações aprendi com alguém, não foram princípios que descobri sozinho. Eles são o resultado de muita leitura, através da qual fui sendo enriquecido. Mas isso custa. Riqueza custa caro."

(Pr.Aluízio A.Silva - Não é Autoajuda é Ajuda do Alto)

A Graça e a Paz do Senhor Jesus.