sexta-feira, 27 de maio de 2016

A Raiz da Condenação

Depois de manifestar vergonha e medo, nós percebemos a condenação em Adão. Quando nós sentimos condenados, condenamos os outros  [Gn 3.12]. 
A base da condenação  é a consciência  de si mesmo. Não existe  nada mais problemático do que ficar ocupado consigo mesmo em todo o tempo. A introspecção é um problema grave, porque nos deixa bloqueados. Uma vez que cedemos a vergonha e  ao medo, vemo-nos enredados pela condenação. Pela acusação.
Gosto sempre de meditar em como um israelita oferecia o cordeiro como oferta pelo pecado. O ofertante  trazia o cordeiro ao tabernáculo  e o apresentava diante do sacerdote. O sacerdote,  então,  avaliava o cordeiro. Veja bem que ele não avaliava o ofertante, mas o cordeiro. Se o cordeiro fosse aceito, o ofertante  era aceito também.
Depois disso, o ofertante  impunha  as mãos sobre o animal. Nesse momento, duas coisas aconteciam: os pecados do ofertante eram transferidos para o cordeiro e a justiça do cordeiro era transferida para ale. Logo em seguida, o animal era morto.  Quando o cordeiro  era imolado, todos os pecados do ofertante eram perdoados. Ele ia embora completamente  justo diante de Deus.
Foi exatamente isso o que aconteceu  na cruz. O problema é que ainda pensamos que O Senhor está nos avaliando para ver se podemos ser alheios. Ele sempre olha para o Cordeiro, Jesus, e se o Cordeiro é aceito, nós somos aceitos também. O vencedor  possui  muitas  características segundo o livro de Apocalipse, mas certamente a principal é que ele subjuga toda acusação e condenação do diabo (Ap 12.11). Eles venceram a quem?  Os versos  anteriores   fazem  uma descrição do Inimigo  (Ap 12.9-10). 
Ele é chamado de antiga serpente que se tornou um dragão. Depois de muitos séculos se alimentando do pó da terra,  ale cresceu.  O pó da terra  se refere a carne  do homem,  que foi  feito do barro, mas ele também se chama diabo e satanás. Diabo significa  adversário, e satanás significa acusador. Como diabo, ele é sedutor, mas como satanás,  ele nos acusa de dia e de noite.
Muito embora  ele roube, seu nome não é ladrão. Embora ele seja um assassino,  seu nome não é assassino, mas acusador, porque todo o seu trabalho procede do sentimento de condenação, culpa e acusação são aspectos de uma  mesma obra maligna. Esta é a obra  do diabo, que procura criar em nós o hábito de sempre procurar um culpado.
Em João 9, quando os discípulos encontraram um cego a beira do caminho, eles perguntaram: "Quem pecou?  Ele ou os seus pais?"  0 Senhor jamais  age como condenador, por isso Ele respondeu: "Nenhum  dos dois. Ele nasceu  assim  para que nele se manifeste a gloria de Deus".
 Quando houver um problema, não pergunte de quem é a culpa!  Precisamos aprender a lidar com os problemas da maneira de Jesus. Não interessa quem é culpado, esse problema será uma oportunidade para Deus mostrar a sua glória. Como  podemos  vencer a acusação e a condenação? Em primeiro luqar, vencemos pelo sangue do Cordeiro.
Estamos  habituados  a clamar pelo sangue como um tipo de proteção contra todo tipo de ataque do diabo. Não sou real mente contra isso, mas precisamos reconhecer que não é essa a principal finalidade do sangue de Jesus. A principal  razão de o sangue ter sido derramado foi o perdão dos nossos  pecados. O sangue  nos oferece proteção contra  todo tipo de condenação. Quando você entende que o sangue o fez justo e que todos os seus pecados são perdoados. Então você esta protegido  contra a acusação (Mt 26.27-28).
Quando você ouvir a voz do acusador,  lembre-se de que agora não há nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus. É por isso que Isaías diz que nenhuma arma forjada contra nos prosperara. O diabo está sempre levantando a sua língua contra nós em juízo, mas somos nós agora que o condenamos quando confessamos o sangue de Jesus.

Estas são as três raízes profundas que o diabo usa para nos atacar. A culpa, o medo e a condenação são a raiz de todos os males que enfrentamos. Se aprendermos a remove-las, vamos desfrutar de vida abundante.

(Palavra ministrada no dia 14/05/16, pelo Pr. Aluízio Silva - Igreja Videira)

A Graça e a Paz do Senhor Jesus.